Sobre o Evento

"EDUCAÇÃO DO EDUCADOR NA UFPA – O PARFOR PEDAGOGIA: PERSPECTIVAS E DESAFIOS".
PERÍODO: 10 e 11 de Agosto de 2012
ÁREA GEOGRÁFICA: Municípios do Estado do Pará
TEMA CENTRAL: "Impulsionando movimento de mudança na formação e
desenvolvimento de profissionais atuantes na educação básica no Pará".
LOCAL DE REALIZAÇÃO: Centro de Convenções Benedito Nunes UFPA


I – Justificativa

Dados oficiais que historicamente vem sendo divulgados e observações realizadas sobre fatos que referem os marcos evolutivos que vem perpassando a construção do Sistema de Educação no Brasil, servem para demonstrar concretamente que é no fazer pedagógico, que reside o desenvolvimento da capacidade docente – pelo menos em curto prazo.

A certeza de ser impossível, uma eficaz capacitação docente, quando esta ocorre reduzida ao simples aprofundamento técnico-científico nos conteúdos de determinada disciplina (formação acadêmica convencional). Ou puro adestramento em métodos, técnicas de ensino e aprendizagem (formação pedagógica convencional), sinaliza para indicadores determinantes da multicausalidade de fatores que podem de um ou outro modo, interferir sobre as condições ambientais, indispensáveis à legitimação de um processo de ensino aprendizagem cuja efetividade há muito vem sendo pleiteada nacionalmente.

Condições essas que se fazem: externas – pois determinam o campo do estímulo ao ensinar e aprender e internas – porque definem o sujeito em suas relações, sendo que invariavelmente, a combinatória de uma e outras levam à consolidação operacional do que é objetivado alcançar.

Combinatória cuja dinâmica delineia as variáveis de ocorrências, sempre representadas, sob a forma de sintomas – problemas centrados em dois atores vinculados como professor-formador e professor-aluno. E nessa dinâmica por suas contradições precisam ambos ser entendidos nas suas características próprias, nas suas múltiplas especificidades e pelos diferenciados fatos geradores dos seus comportamentos.

Nessa compreensão, atentando para o cenário que formata a clientela atuante no PARFOR/PEDAGOGIA, através de sua Coordenação, caminhando na direção de definir um percurso que atrelados às experiências exitosas que tem ocorrido desde a sua instalação nos municípios paraenses, busca a sistematização de novos saberes que beneficiam a todos aqueles que, descobrindo e redescobrindo caminhos que contribuam para o ensino de qualidade deixe de ser uma utopia no Pará e por extensão no Brasil.

Assim sendo, analisar o estado da arte e avaliar o desenvolvimento do que até então já foi realizado pelo PARFOR/Pedagogia no Estado, torna-se um compromisso inadiável, para que os desafios, as dificuldades e limitações afetas ao cotidiano escolar sejam postos entre as preocupações presentes. E cada vez mais ser compreendido como processo de ensino e aprendizagem no qual professor-formador e professor-aluno está sendo formado para atender com qualidade as demandas que lhes são impostas pela sociedade. Reunir, portanto, num ambiente neutro, todos os atores envolvidos nas ações do PARFOR em nível local e o desafio que a UFPA se impõe. Está convicta de que a atual qualificação profissional do professor possibilita a ato da liberdade, inserido na derivação da sua estrutura ontoantropológica, nela implicado o compromisso com a sua existência e o percorrido no cotidiano evolutivo da sua práxis pedagógica.

A realização deste encontro guarda estreita coerência entre o ideário da academia e o movimento de mudanças necessárias para imprimir um ritmo mais ágil a essa iniciativa que vem dando certo com vistas à consolidação das políticas públicas de educação em desenvolvimento no País. E em âmbito regional-local – o que por si só – justifica qualquer esforço destinado para a concretização das mesmas, enquanto vontade coletiva interinstitucionalizada em cumprimento aos preceitos normativos estabelecidos pelo atual Estado Democrático de Direito, constantes no Artigo 5º da Constituição Federal Brasileira.


II – Propósito

Analisar criticamente o "estado da arte" em que se encontram as atividades desenvolvidas pelo PARFOR/PEDAGOGIA tendo como foco principal a formação profissional para o exercício do magistério nas séries iniciais do ensino no Pará, observadas as diretrizes e normativas preconizadas pelo MEC/CAPES através do Decreto 6755/2009, que instituiu a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, a ser consolidada em regime de colaboração da União com os Estados, Distrito Federal e Municípios, mediante à operacionalização de seus respectivos Planos de Ações Articuladas e Planejamentos Estratégicos voltados para a formação inicial e continuada dessa população-alvo.


III – Objetivos

Visando à formalização do propósito estabelecido constituir referência básica a consecução dos seguintes objetivos:

• Reunir participantes do PARFOR/PEDAGOGIA que atuam nos Municípios do Estado do Pará para que, considerando as ideologias conflitos e observados os níveis de gestão e cooperação em conjunto reflitam com os atores da academia sobre a estrutura organo-funcional e condições para a operacionalização das ações planejadas, visando à promoção de mudanças que se fizerem necessárias para otimização do processo de ensino e aprendizagem instituído para a formação do educador do magistério para as séries iniciais do ensino no Pará.

• Promover momentos propícios para que todos os protagonistas envolvidos na implementação das ações do PARFOR/PEDAGOGIA no Pará, observados os diferentes níveis de gestão e execução das atividades, identifiquem os estágios correspondentes, indicadores do padrão de qualidade e do nível de impactos dos resultados alcançados.

• Viabilizar espaços para que ocorram discussões, debates, análises e críticas que apontem para os desafios e tendências que perpassam o cotidiano do PARFOR/PEDAGOGIA e as intervenções promovidas pela UFPA enquanto ente constitutivo dos convênios firmados no Pará.

• Refletir criticamente sobre as diretrizes operacionais e princípios normativos que norteiam as ações planejadas em âmbito regional local, considerando às adversidades e realidade atual formatando um desenho sócio-institucional que caracterize como as instituições gestoras se organizam para cumprimento do assumido através do PARFOR/MEC/CAPES, com vistas à transformação da realidade educacional no Pará/Brasil.

• Fomentar a exposição de novas idéias para avaliação de frentes de demandas das oportunidades oferecidas a iniciação e continuação da formação do educador para o magistério do ensino municipal atentando aos reclamos atuais da sociedade que se apresenta múltipla estratificada e complexa.

• Estimular a implementação de mecanismos de incentivos a propostas diferenciadas como a diversificação dos cenários de práticas do professor-formador e professor-aluno, adoção de metodologias ativas de ensino-aprendizagem, desenvolvimento de currículos integrados e modelos inovadores de avaliação para identificação da produção de conhecimentos relevantes e desencadeamento de ações articuladas em parceria, que levem em conta as múltiplas necessidades os ganhos alcançados pela capacidade de ampliação do acesso ao ensino universitário com o apoio estrutural dos municípios.

• Criar canais interinstitucionais que garanta a divulgação de informações afetas a gestão pactuada do PARFOR para publicização dos resultados alcançados, envolvendo a participação da sociedade na consolidação do conhecimento e democratização do saber elaborado.

• Aprofundar discussões políticas técnicas e administrativas, como estratégias para estabelecimento de uma relação interinstitucional equilibrada, a fim de que haja coerência entre valores experimentados na vivência da gestão pactuada e atendimento pleno dos compromissos assumidos.

• Elaborar documento final (CARTA DO PARÁ) enquanto elo articulador entre os níveis de gestão e execução da estrutura organo-funcional do PARFOR/Pedagogia, UFPA, Governo do Estado, Governos Municipais e Entes Federais, enquanto instrumento sinalizador de mudanças que se façam necessárias para a otimização da gestão colegiada em processo de consolidação.


IV – Processo Operacional

4.1 – Metodologia dos Trabalhos

Para sistematização das ações e desenvolvimento das atividades programadas, a organização do evento sinaliza para necessidade da implementação de duas fases de trabalhos que deverão ser realizadas em etapas consecutivas, a saber:

1ª FASE:

Etapa I – Sensibilização dos gestores municipais para colaboração efetiva e decisão compromissada sobre a realização do evento tendo como conseqüência a definição do nível de envolvimento e a forma de participação de cada instituição presente.

Etapa II – Realização de Encontros em módulos nos municípios nos meses de janeiro, fevereiro e março/2012 para a socialização da proposta e obtenção de resultados parciais para subsidiarem a instalação do Encontro maior a ser realizado em Belém nos dias 10 e 11 de agosto de 2012.

2ª FASE:

Etapa I – Realização do I Encontro Estadual, que metodologicamente será legitimado conforme descrição apresentada na programação constando de: Conferência Magna, Palestras, Discussões e Debates em Grupos Operativos de Trabalhos, Apresentação de Experiências e Plenárias, além da vivência de momentos alternativos destinados à expressões verbais livres e depoimentos de qualquer participante que se fizer interessado.

Etapa II – Elaboração de documento final formalizante da Carta do Pará, sequenciada pela leitura em plenária e aprovação pelo coletivo presente.

Etapa III – Aplicação de ficha técnica para avaliação e registro oficial das impressões sobre o encontro realizado e as propostas de modificações que forem sugeridas para o PARFOR/Pedagogia.

Etapa IV – Elaboração de Relatório Técnico-crítico para encaminhamento aos órgãos envolvidos instituições que garantiram aportes financeiros para legitimação do evento.

Encontram-se dispostas 18 (dezoito) horas sequenciais de trabalhos observados os tempos intervalares previamente determinados para ações transversais como momentos culturais.

4.2 – Eixos Estruturantes das Discussões

Visando à obtenção de resultados que expressem a importância do encontro, eixos estruturantes que potencializem a participação grupal e a interação institucional, encontram-se dispostas com vistas a discussões e debates obedecendo os seguintes temas:

Eixo I – Gestão pactuada do PARFOR/Pedagogia: problemas, obstáculos e desafios para implementação das ações com qualidade.

Eixo II – Projeto Pedagógico da Escola e consciência profissional: inexistência de critérios para definição de padrão básico de qualidade para o ensino municipal e desenvolvimento do currículo escolar.

Eixo III – Gestão do PARFOR/Pedagogia e formação profissional: grau de compromisso interinstitucional pactuado e participação da sociedade demandante por acesso e ampliação de serviços de qualidade na educação no Pará.

Eixo IV – PARFOR/Pedagogia formação inicial do professor e inserção do programa nos Projetos Pedagógicos dos Cursos Extensivos de Pedagogia, com vistas a continuidade da qualificação docente e como medida para viabilizar a superação dos gargalos e desafios prejudiciais a qualidade do ensino em âmbito regional local

Eixo V – Natureza do Trabalho Docente e valorização profissional: PARFOR como uma das alternativas em curto prazo.

Eixo VI – LDB e PCN's, diretrizes políticas e cumprimento dos princípios normativos do PARFOR/PEDAGOGIA, direcionados à consolidação das políticas públicas de educação no Pará.

Eixo VII – Financiamento das ações do PARFOR/Pedagogia: pactuação dos custos desafios atuais e tendências para a continuidade observadas as diversidades territoriais localizadas e as dificuldades de gestão dos Entes municipais.

Eixo VIII – PARFOR/PEDAGOGIA: iniciação e formação continuada do professor-aluno observada pontos críticos para intervenções necessárias, correção de problemas atuais e prevenção de desvios futuros.

Nas etapas operacionais que antecederem à realização do I Encontro Estadual, os eixos descritos deverão servir para nortear as discussões grupais visando a apresentação de pôster, comunicações, painéis e propostas de mudanças julgadas necessárias pelos professores-formadores e professores-alunos que viabilizem a ampliação de debates posteriores no Pará.

4.3 – Avaliação do Encontro

Será processada durante a realização das atividades de cada dia mediante expressão oral e depoimentos sobre as impressões dos participante, culminando com a aplicação de uma ficha técnica correspondente à indicação de resultados programados e perfil do produto alcançado a disposição desses depoimentos no quadro de avaliação.

Sub-categorias

Informações Adicionais